Emoção na retomada presencial do TJC

A edição 2022 do Programa Trabalho, Justiça e Cidadania (TJC) resgatou o formato presencial, após dois anos de encontros online em virtude da pandemia de Covid-19. A primeira parada foi na Escola de Referência em Ensino Médio (EREM), José Vilela, no bairro do Parnamirim, no Recife.

Com apresentações culturais mesclando música, poesia e teatro, os alunos mostraram os conhecimentos apreendidos nas áreas de direitos humanos e do trabalho. Também participaram ativamente da etapa de tira-dúvidas, questionando os magistrados e advogados presentes sobre vivências cotidianas envolvendo preconceito e cidadania.

A gestora da escola, Luciene Andrade, falou da importância do TJC na escola, dando oportunidade aos jovens estudantes ampliarem suas visões sobre seus direitos e também deveres. “Essa retomada nos faz muito felizes, pois sabemos da importância do programa no crescimento desses alunos, orientando e, principalmente reforçando sua cidadania”, disse a coordenadora do TJC, Carmen Richlin.

A presidente da Amatra VI, Laura Botelho, fez uma abordagem voltada à inclusão de raça e gênero, destacando o necessário respeito entre todos e todas, enfatizando que a educação é essencial para possibilitar novas oportunidades na vida adulta.

Participaram do evento, os magistrados do trabalho Patrícia Trajano, Roberto de Freire, o juiz Abder Apolinário, e o advogado Victor Hugo. Representando a Secretaria Estadual de Educação Pernambuco/GRE Recife Norte, os professores Waldilma Batista de Santana, Mary Ruth Gomes, Constantino Melo e Elyne Paiva, coordenadora de Desenvolvimento Geral de Educação da GRE Recife Norte.

O TJC este ano tem como tema “O Bicentenário da independência do Brasil na busca da antidiscriminação nos espaços de trabalho, educação e cidadania”

Imprimir